Prisão

Casal é detido em MG após amarrar em cão uma galinha e uma bomba e explodir os bichos; ação foi filmada e repercutiu entre artistas e políticos

O cachorro vítima de maus-tratos foi encontrado por uma ONG, na zona rural da cidade.

Um casal foi detido por maus-tratos em um povoado de Onça do Pitangui, depois de amarrar em um cachorro uma galinha e uma bomba e em seguida, estourá-la nos bichos. A mulher, de 37 anos, e o homem, de 48 anos, foram identificados pela Polícia Militar (PM) depois que a apresentadora e ativista da causa animal, Luisa Mell, postou nas redes sociais dela o vídeo da agressão gravado pelo próprio casal. 

O vídeo causou comoção e revolta entre artistas e defensores da causa animal, os deputados estaduais por São Paulo Delegado Bruno Lima (PSL) e Bruno Ganem (Podemos) e o deputado federal por Minas Gerais, autor da Lei que agrava pena para agressores de animais, Fred Costa (PSL) também comentaram o assunto.

O casal confessou o crime, segundo a polícia, e disse que a atitude foi uma punição pelo animal ter atacado uma criação de galinhas. A Polícia Civil informou que eles não tiveram a prisão em flagrante ratificada pelo crime de maus-tratos pelo fato de ter ocorrido na última terça-feira (25). No entanto, um inquérito foi instaurado para encontrar os animais e indiciar o casal.

Prisão

Com informações sobre o vídeo e denúncias sobre os autores dos maus-tratos, os policiais militares de Onça de Pitangui foram até o povoado de Capoeira Grande, onde encontraram o casal.

Segundo a polícia, eles confessaram os maus-tratos ao cachorro mostrado no vídeo. O casal ainda disse, de acordo com a ocorrência registrada pela PM, que a galinha estava morta quando a amarraram no cachorro juntamente com bombas. Os artefatos foram colocados ao corpo do animal e acendidos para que estourassem.

Eles disseram aos militares que a atitude era uma forma de correção e castigo ao cachorro, que teria atacado e comido algumas galinhas que eles criam.

O casal afirmou que gravou o vídeo com o celular e em seguida, colocaram o cachorro no carro e o soltaram a cerca de 3 km do povoado, em uma estrada.

Segundo a PM, o casal disse que o animal tem seis meses de idade e que, por este motivo, possivelmente não tenha conseguido encontrar o caminho de volta.

Na casa, os policiais encontraram as roupas usadas pelos autores durante os maus-tratos e o celular usado para gravar as imagens.

Também foram localizados uma espingarda de pressão e 22 cartuchos calibre .28 e cinco bombas de tamanho médio. O casal foi detido e levado à Delegacia de Polícia, em Pará de Minas.

A Polícia Civil informou por meio de nota que o homem foi preso em flagrante por porte ilegal de munição e encaminhado ao sistema prisional, onde se encontra à disposição da Justiça.

A polícia informou que o casal não teve a prisão ratificada pelo crime de maus-tratos em razão da ausência de flagrante.

"Foi instaurado um inquérito para apuração dos fatos. Os dois vão responder pelo crime de maus-tratos de animais, que teve a pena aumentada no caso de crime contra animais domésticos. A Polícia Civil tem agora dez dias para concluir as investigações. Se as informações forem procedentes serão indiciados", afirmou o delegado regional Carlos Henrique Gomes Bueno.

O cachorro

O cachorro vítima de maus-tratos foi encontrado na tarde desta sexta-feira (28). Segundo a Polícia Militar (PM), o cão foi encontrado por uma Organização Não Governamental (ONG) na zona rural da cidade.

De acordo com a PM, quando foi encontrado o animal apresentava dois ferimentos aparentemente não muito graves, sendo um na orelha e outro nas costas. Além disso, o cão aparentava ainda estar assustado. Ele foi levado a um médico veterinário em Pitangui e vai ficar sob os cuidados da ONG.

Comente